O livro do trompetista e professor de música pernambucano José RoqueNetto mostra para o mundo inteiro como se tocar o frevo, ritmo considerado Patrimônio Imaterial do estado. RoqueNetto reuniu informações, instruções, partituras, fotografias e histórias e lançou “O trompete no frevo”. Escrito em português, inglês e francês, a publicação tem lições de pronúncia, articulação, fraseados, postura e respiração.

RoqueNetto, também pedagogo por formação, diz que o frevo, apesar de secular, ainda é um ritmo voltado somente ao carnaval. Nascido na rua, o ritmo, segundo ele, ainda não tinha uma sistemática de ensino. Além do livro, o projeto prevê oficinas em outros estados e países.

“A verdadeira escola do frevo são as ruas e os palcos. Ele nasceu com o povo, na multidão. Apesar de fazer 113 anos em 2020, ainda é uma música de carnaval, onde cada orquestra toca com seu ‘sotaque’. Não existe para o frevo uma escola como para o jazz, como há para a música erudita. Com o livro, proponho uma metodologia às escolas, principalmente para as especializadas”, diz o autor.

“O trompete no frevo” tem 120 páginas e sai pela B52 Desenvolvimento Cultural. Orçado em R$ 50 mil, o projeto recebeu 50% da verba de patrocínio da Prefeitura do Recife, além de recursos de apoios culturais privados, recursos próprios e apoio de fornecedores.

A editora do livro explicou que decidiu publicar o livro a partir da constatação de que sem método não é possível repassar as lições do frevo para outros lugares.

“Para uma orquestra de fora gravar um frevo tinha que levar um maestro do Recife. se não fosse assim, os músicos não conseguiriam fazer com esse ‘sotaque’. Não é porque é uma música que toca na rua que é fácil. Se não houver método, ele não sai daqui”, diz a diretora executiva da B52 e produtora cultural, Tactiana Braga.

Serviço

“O trompete no frevo”, de RoqueNetto

Edição: B52 Desenvolvimento Cultural

Páginas: 120

Preço: R$ 50 (nas livrarias)

Informações: [email protected]

Fonte: G1

Welligton Sousa
Bacharel em composição pela Universidade Estadual do Ceará, Mestre em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Tutor do Centro Universitário Claretiano - Polo Fortaleza, Compositor e Arranjador do Núcleo de Arte Educação e Cultura de Eusébio (CE) e Arquivista da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará.

Deixe uma Resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui